Entre reflexões e fazeres: a construção do saber histórico escolar a partir do uso de reflexórios

  • Diego Firmino Chacon Secretaria Municipal de Educação de Arez
  • Francisco Firmino Sales Neto UFCG
  • Dinara Soares Chacon Sales Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Palavras-chave: Saber histórico escolar, Ensino Médio, Reflexório, Aprendizagem

Resumo


Este trabalho analisa o uso de “reflexórios” como estratégia para ressignificar as aprendizagens nas aulas de História. As experiências aqui analisadas surgiram na atuação junto ao componente curricular História para o Ensino Médio, na Escola Estadual Jacumaúma, em Arez, Rio Grande do Norte. Elas se basearam na produção de textos reflexivos pelos estudantes sobre suas próprias vivências e aprendizagens em sala de aula. O desenvolvimento dessa prática de observar, refletir e sistematizar – por meio da escrita – os múltiplos movimentos e saberes no cotidiano das aulas contribuiu para que os educandos fossem percebendo as contribuições do saber histórico para as suas vidas e para a sociedade. No diálogo com teóricos como Geertz (2012; 2014), Rusen (2010), Certeau (2014), Ricoeur (2011; 2018) e Elias (1998) foram percebidos saberes históricos nos enunciados construídos pelos estudantes em seus reflexórios, marcados por elaborações e re-elaborações características das dinâmicas mutáveis da cultura escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diego Firmino Chacon, Secretaria Municipal de Educação de Arez

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Professor Efetivo da Rede Municipal de Educação de Arez e da Rede Estadual do Rio Grande do Norte. 

Arez, Rio Grande do Norte, Brasil.

E-mail: diegofchacon@hotmail.com

Orcid: https://orcid.org/0000-0002-7054-683X

Francisco Firmino Sales Neto, UFCG

Pós-doutor pela Universidade de Vigo, em Espanha.

Doutor em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Professor Adjunto IV na Universidade Federal de Campina Grande (campus Cajazeiras).

Professor Colaborador do Programa de Pós-graduação em História e Espaços na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (campus Natal).

Vice-líder do Grupo de Estudos e Pesquisa em História e Cultura (GEPHC/CNPq).

Cajazeiras, Paraíba, Brasil.

E-mail: nassausiegen@yahoo.com.br

Orcid: https://orcid.org/0000-0001-9647-4638

Dinara Soares Chacon Sales, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Licenciada em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2011), Especialista em Língua Portuguesa pela Universidade Federal de Campina Grande (2016) e Mestre em Ciências da Educação pela Universidade do Porto. Atualmente, estudo doutoramento em Ciências da Linguagem pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Entre os anos de 2009 e 2010, foi bolsista no Programa de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), tendo efetivado uma investigação sobre a formação inicial de professores problematizando uma contribuição do PIBID para uma constituição das identidades profissionais de docentes oriundos desse Programa Educacional brasileiro .

Referências

  • BIA (2017, 14 jun.). Reflexório. Arez (Rio Grande do Norte).

  • BITTENCOURT, Circe (2004). Ensino de história: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez.

  • BRUNO (2017a, 3 mar.). Reflexório. Arez (Rio Grande do Norte).

  • BRUNO (2017b, 22 maio). Reflexório. Arez (Rio Grande do Norte).

  • CANLABAXÚRIA (2017, 5 jun.). Reflexório. Arez (Rio Grande do Norte).

  • CERTEAU. Michel de Certeau (2014). A Invenção do cotidiano: artes de fazer. Tradução Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis: Vozes.

  • CHARTIER, Roger (2010). A história ou a leitura do tempo. Tradução Cristina Antunes. Belo Horizonte: Autêntica.

  • DADÁ (2017, 2 jul.). Reflexório. Arez (Rio Grande do Norte).

  • DIDO (2017, 7 abr.). Reflexório. Arez (Rio Grande do Norte).

  • ELIAS, Norbert (1998). Sobre o tempo. Tradução Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

  • EXTREMISTA RADICAL (2017a, 21 ago.). Reflexório. Arez (Rio Grande do Norte).

  • EXTREMISTA RADICAL (2017b, 4 set.). Reflexório. Arez (Rio Grande do Norte),

  • FLOR (2017a, 10 mar.). Reflexório. Arez (Rio Grande do Norte).

  • FLOR (2017b, 20 mar.). Reflexório. Arez (Rio Grande do Norte).

  • GARRIDO, Elsa (2001). Sala de aula: espaço de construção do conhecimento para o aluno e de pesquisa e desenvolvimento profissional para o professor. In: CASTRO, Amelia Domingues de; CARVALHO, Anna Maria Pessoa de. (Org.) Ensinar a ensinar: didática para a escola fundamental e média. São Paulo: Cengage Learning. p. 125-139.

  • GEERTZ, Clifford (2012). A Interpretação das culturas. Tradução Fanny Wrobel. Rio de Janeiro: LTC.

  • GEERTZ, Clifford (2014). O saber Local: novos ensaios em antropologia interpretativa. Tradução Vera Joscelyne. Petrópolis: Vozes.

  • HOFFMANN, Jussara (2014). Avaliação mediadora: uma prática em construção da pré-escola à universidade. Porto Alegre: Mediação.

  • ÍNDIA (2017, 21 ago.). Reflexório. Arez (Rio Grande do Norte).

  • LANE (2017, 18 set.). Reflexório. Arez (Rio Grande do Norte).

  • MARCUSCHI, Luiz Antônio (2010). Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, Ângela Paiva; MACHADO, Anna Rachel; BEZERRA, Maria Auxiliadora (Org.). Gêneros textuais e ensino. São Paulo: Parábola Editorial. p. 19-38.

  • MONTEIRO, Ana Maria (2007). Professores de história: Entre saberes e práticas. Rio de Janeiro: Mauad X.

  • PERISSÉ, Paulo (2004). O educador aprendedor. São Paulo: Cortez.

  • RICOEUR, Paul (2018). Teoria da interpretação: o discurso e o excesso de significação. Tradução Artur Morão. Lisboa: Edições 70.

  • RICOEUR, Paul (2011). Escritos e conferências 2: hermenêutica. Tradução Lúcia Pereira de Souza. São Paulo: Edições Loyola.

  • RUSEN, Jorn (2010). Razão histórica: Teoria da história: os fundamentos da ciência histórica. Tradução Estevão Rezende Martins. Brasília: Ed. UnB.

  • RUSEN, Jorn (2011). Jorn Rusen e o ensino de história. Curitiba: Ed. UFPR.

  • SCHMIDT, Maria Auxiliadora; CAINELLI, Marlene (2009). Ensinar história. São Paulo: Scipione.

  • VINI (2017, 3 mar.). Reflexório. Arez (Rio Grande do Norte).

  • ZERODOIS (2017, 20 mar.). Reflexório. Arez (Rio Grande do Norte).

Publicado
14-12-2020
Como Citar
Chacon, D. F., Sales Neto, F. F., & Sales, D. S. C. (2020). Entre reflexões e fazeres: a construção do saber histórico escolar a partir do uso de reflexórios. History of Education in Latin America - HistELA, 3, e23445. https://doi.org/10.21680/2596-0113.2020v3n0ID23445
Edição
Seção
Artigos