NOS LABIRINTOS DE UMA ESCRITA SOCIOTÉCNICA

Autores

  • Dalila Floriani Petry UFSC/Université Nanterre la Défense

DOI:

https://doi.org/10.21680/1982-1662.2016v1n19ID11779

Palavras-chave:

Teoria Ator-Rede. Descrição sociotécnica. Escrita. Labirinto.

Resumo

O fazer das ciências sociais é repleto de diferentes propostas e escolhas teórico-metodológicas. Uma dessas perspectivas tem uma preocupação particular com a escrita: a Teoria Ator-Rede (TAR). A primeira pista dessa preocupação apresenta-se no cuidado que a TAR procura ter com a escrita ao intentar descrições sociotécnicas. Neste artigo, procuro discutir como o pensar a escrita age nas propostas de escrita sociotécnica, sobretudo nas etnografias que tenham o esforço de fazer aparecer os atores (humanos e não humanos) em seus textos e que evitem armadilhas descritivas em que uma análise técnica justaponha uma análise social ou vice-versa. Para tanto, voltarei a algumas noções de base da Teoria Ator-Rede que concernem diretamente a esse debate sobre escrita sociotécnica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dalila Floriani Petry, UFSC/Université Nanterre la Défense

Doutoranda em Antrologia no «Laboratoire d'ethnologie et sociologie comparative» (LESC) da ED 395 – École Doctorale Milieux, culture et sociétés du passé et du présent - na Université Nanterre la Défense - Paris Ouest. Sob dupla orientação, de Philippe Erikson e Sophie Houdart, desenvolve uma tese sobre o GESAC – Governo eletrônico: serviço de atendimento ao cidadão, política pública do governo federal brasileiro, coordenado pelo Ministério das Comunicações. É mestra em Antropologia Social pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), sob orientação do Prof. Dr. Theophilos Rifiotis, com dissertação sobre o programa de inclusão social e digital do Governo Estadual do Acre, o Floresta Digital. Integra o GrupCiber (Grupo de Pesquisa em Ciberantropologia/UFSC) desde outubro de 2009.

Downloads

Publicado

07-04-2017

Como Citar

PETRY, D. F. NOS LABIRINTOS DE UMA ESCRITA SOCIOTÉCNICA. Revista Inter-Legere, [S. l.], v. 1, n. 19, p. 35–49, 2017. DOI: 10.21680/1982-1662.2016v1n19ID11779. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/interlegere/article/view/11779. Acesso em: 12 jul. 2024.

Edição

Seção

DOSSIÊ TEORIA ATOR-REDE