Escola Polivalente de Osório-RS: Políticas Educacionais e Trabalho a partir da História Oral

  • Maria Augusta Martiarena de Oliveira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul
  • Valesca Brasil Costa Faculdade de Direito - JPII
Palavras-chave: Escolas polivalentes, História Oral, Escolas polivalentPolíticas Públicas em Educação

Resumo


Este estudo refere-se à Escola Maria Teresa Vilanova Castilhos - Escola Polivalente, de Osório, Rio Grande do Sul, cuja fundação ocorreu em 1974, no bojo dos acordos MEC-USAID. Quanto à metodologia, o presente estudo desenvolve-se a partir da História Oral, tendo-se realizado quatro entrevistas, com docentes que atuaram na referida instituição. O objetivo do presente estudo é analisar como as políticas públicas em educação influenciavam nas práticas que se desenvolviam no âmbito escolar, bem como da forma como compreendiam a formação técnica em nível de 1.º grau e sua relação com as disciplinas da base comum. Este estudo viabiliza perceber como os atores cotidianos refletem e ressignificam na esfera escolar as concepções de ensino integrado e de formação humana integral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

  • Alberti, V. (2005). Manual de História Oral. Rio de Janeiro: FGV.

  • Amado, J. (1995). O grande mentiroso: tradição, veracidade e imaginação em História Oral. História, São Paulo, n, 14, p. 125-136.

  • Araújo, J. A. (2010) A USAID, o regime militar e a implantação das escolas polivalentes no Brasil. Revista de Epistemologia y Ciencias Humanas, Rosário - Argentina, n. 2, 11p.

  • Aristóteles. (2017). A Política. (N. S., Chaves Trad.). Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

  • Ciavatta, M. (2015). O trabalho docente e os caminhos do conhecimento: a historicidade da Educação Profissional. Rio de Janeiro: Lamparina.

  • Ciavatta, M. (2007). Memória e temporalidade do trabalho e da educação. Rio de Janeiro: Lamparina, FAPERJ.

  • Ferreira, M. M.; Amado, J. (Org.) (1998). Usos e abusos da História oral. Rio de Janeiro: Ed. FGV.

  • Félix, L. O. (1998). História e Memória: uma problemática de pesquisa. Passo Fundo: Universitária.

  • Magalhães, J. (2010). Da Cadeira ao Banco: Escola e Modernização (Séculos XVIII-XX). Lisboa: Educa & Ui&dCE.

  • Martiarena de Oliveira, M. A. (2018). Revista Polivisão: a imprensa pedagógica em uma escola polivalente. In: Hernández Diaz, J. M. (Ed.). La prensa pedagógica de los profesores. Salamanca: Ediciones Universidad de Salamanca, p.215-228.

  • Martiarena de Oliveira, M. A. (2017). Escola Maria Teresa Vilanova Castilhos – Escola Polivalente: acervos fotográficos e História da Educação. RIDPHE_R Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico-Educativo, 3(2), 2017, p. 323-336. doi:https://doi.org/10.20888/ridphe_r.v3i2.7825

  • Shiroma, E. O.; Moraes, M. C. M. ; Evangelista, O. (2004). Política Educacional. 3. ed. Rio de Janeiro: DP&A.

  • Souza, S.; Lima, G. (2016) Escolas Polivalentes na Ditadura Civil-Militar: Marco no Modelo de Ensino Profissionalizante ou Instrumentos de Propaganda do Regime? O Processo de Implantação do Polivalente de Ituiutaba- Mg (1974-1985). Educação & Formação, 1(2), 2016, p. 72-88. doi:http://dx.doi.org/10.25053/edufor.v1i2.1892

  • Thomson, A. (1997). Recompondo a memória: questões sobre a relação entre a história oral e as memórias. Projeto História, São Paulo, n. 15, p. 52-84.

Publicado
13-05-2020
Como Citar
Oliveira, M. A. M. de, & Costa, V. B. (2020). Escola Polivalente de Osório-RS: Políticas Educacionais e Trabalho a partir da História Oral. History of Education in Latin America - HistELA, 3, e20718. Recuperado de https://periodicos.ufrn.br/histela/article/view/20718
Edição
Seção
Artigos