Ensino mútuo e independência no Brasil

Palavras-chave: Educação Popular, Escolarização, Estado Nacional

Resumo


Introduzido na América Latina em pleno processo de independência política da região, o método de ensino mútuo constituiu uma primeira tentativa de organizar a educação elementar nas novas nações emergentes no continente. Encarado como a solução mais econômica e eficaz para a escolarização do povo, o método configurou para os governantes das décadas iniciais do século XIX, um modelo de escolarização adequado à realidade pós-colonial. Neste trabalho procuramos descrever as iniciativas de aplicação do método do ensino mútuo visando a educação elementar dos brasileiros, a partir do momento em que se descortinava a emancipação do país. Com ênfase especial no papel dos condicionantes econômicos, sociais e políticos postos ao Estado em formação para estruturar o ensino oferecido à população, a análise ressalta a adequação do método para a formação da nacionalidade naquele momento histórico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wojciech Andrzej Kulesza, UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

Wojciech Andrzej Kulesza é graduado em Física pela Universidade de São Paulo (1971), mestrado em Ciências pela Universidade de São Paulo (1985), doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1991). pós-doutorado na Auburn University (1995/6) e Universidade Federal de Minas Gerais (2014/5). Atualmente é professor titular aposentado da Universidade Federal da Paraíba, pesquisador do Grupo de Pesquisa Ciência, Educação e Sociedade (GPCES) da UFPB e do Centro de Pesquisa em História da Educação(GEPHE) da UFMG. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Fundamentos da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: instituições escolares, formação de professores, história da educação e ensino de ciências e matemática.

Referências

  • Alves, C.M.C. (2003). A presença militar na educação do século XIX. In: Alves, C.M.C.; Gondra, J.G.; Magaldi, A.M. (Org.). Educação no Brasil: história, cultura e política. Bragança Paulista: EDUSF, p. 227-251.

  • Bastos, M.H.C. e Faria Filho, L.M. (Org.) (1999). A escola elementar no século XIX: o método monitorial/mútuo. Passo Fundo: Ediupf.

  • Cardoso, T.M.F. (1999). Abrindo um novo caminho. O ensino mútuo na escola pública do Rio de Janeiro (1823-1840). In: Bastos, M.H.C. e Faria Filho, L.M. (Org.). A escola elementar no século XIX: o método monitorial/mútuo. Passo Fundo: Ediupf, p. 118-143.

  • Carvalho, R. (2011). História do Ensino em Portugal. 5. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

  • Chizzotti, A. (1996). A constituinte de 1823 e a educação. In: Fávero, O. (Org.). A educação nas constituintes brasileiras (1823-1988). Campinas/SP: Autores Associados, p. 31-53.

  • Conde, M.T.B. (2005). O Modo de Ensino Mútuo na Formação dos Mestres de Primeiras Letras. Uma Experiência Pedagógica no Portugal Oitocentista. Revista Lusófona de Educação, 6, p. 117-137.

  • Cury, C.A.J. (2018). Financiamento da educação brasileira: do subsídio literário ao FUNDEB. Educação & Realidade. Porto Alegre, v. 43, n. 4, p. 1217-1252.

  • Faria Filho, L.M.; Rosa, W.M. (1999). O ensino mútuo em Minas Gerais (1823-1842). In: Bastos, M.H.C. e Faria Filho, L.M. (Org.). A escola elementar no século XIX: o método monitorial/mútuo. Passo Fundo: Ediupf, p. 177-196.

  • Faria Filho, L.M. (2003). Educação do povo e autoritarismo das elites: instrução pública e cultura política no século XIX. In: Alves, C.M.C.; Gondra, J.G.; Magaldi, A.M. (Org.). Educação no Brasil: história, cultura e política. Bragança Paulista: EDUSF, p. 171-182.

  • Fernandes, R. (1999). A difusão do ensino mútuo em Portugal no começo do século XIX. In: Bastos, M.H.C. e Faria Filho, L.M. (Org.). A escola elementar no século XIX: o método monitorial/mútuo. Passo Fundo: Ediupf, p. 25-44.

  • Lins, A.M.M. (1999). O método Lancaster: educação elementar ou adestramento. Uma proposta pedagógica para Portugal e Brasil no século XIX. In: Bastos, M.H.C. e Faria Filho, L.M. (Org.). A escola elementar no século XIX: o método monitorial/mútuo. Passo Fundo: Ediupf, p. 71-93.

  • López, C. e Narodowski (1999). El mejor de los métodos posibles. La introducción del método lancasteriano em Iberoamérica em el temprano siglo XIX. In: Bastos, M.H.C. e Faria Filho, L.M. (Org.). A escola elementar no século XIX: o método monitorial/mútuo. Passo Fundo: Ediupf, p. 45-72.

  • Mattos, I. R. (1994). O tempo Saquarema. São Paulo: Hucitec.

  • Neves, L.M.B.P. (2014). Ler, contar e escrever: educação e livros no Rio de Janeiro joanino (1808-1821). História: Questões & Debates. Curitiba, n. 60, p. 163-188.

  • Tonholli, D.A. (2010). A instrução pública no Brasil entre 1808 e 1834: levantamento e análise da legislação. Dissertação (Mestrado em Educação - PUC/Minas). Belo Horizonte, 2010

  • Valente, W.R. (1999) Uma história da matemática escolar no Brasil (1730 – 1930). São Paulo: Annablume; FAPESP.

  • Villela, H. (1999). O ensino mútuo na origem da primeira escola normal do Brasil. In: Bastos, M.H.C. e Faria Filho, L.M. (Org.). A escola elementar no século XIX: o método monitorial/mútuo. Passo Fundo: Ediupf, p. 145-176.

Publicado
02-07-2021
Como Citar
Kulesza, W. A. (2021). Ensino mútuo e independência no Brasil . History of Education in Latin America - HistELA, 4, e25315. https://doi.org/10.21680/2596-0113.2021v4n0ID25315
Edição
Seção
Artigos