Redes de coautoria da produção científica brasileira na área de células-tronco

estudo compreendendo o período de 2001-2020

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2447-0198.2022v6n0ID27743

Palavras-chave:

redes sociais, autoridade coletiva, produtividade científica

Resumo

Este trabalho tem por objetivo analisar a rede de coautoria da produção científica brasileira na área de células-tronco, no período de 2001 a 2020. Trata-se de uma pesquisa de caráter longitudinal, de natureza quantitativa e descritiva, pautada na análise de redes sociais, tendo a coocorrência de autores como unidade de medida e, unidade de análise, o autor citante. Os resultados apresentam as métricas de produção científica e as redes referentes ao maior componente de cada rede de coautoria, dos quatro subperíodos analisados: 2001-2005, 2006-2010, 2011-2015 e 2016-2020. Por fim, infere-se que a crescente produção de estudos na área de células-tronco, no Brasil, e o aumento da rede de coautoria nos períodos analisados foram alavancados em virtude do aumento do número de autores e das ações promovidas pelo Ministério da Saúde, em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Como perspectivas futuras de análise, este trabalho pretende identificar os autores mais relevantes, as áreas e assuntos predominantes de estudo e a evolução temporal das pesquisas em células-tronco no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raymundo das Neves Machado, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil

Doutor em Ciência da Informação pelo Instituo Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia(IBICT)/Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professor Associado do Departamento de Fundamentos e Processos Informacionais do Instituto de Ciência da Informação da UFBA.

Gillian Leandro de Queiroga Lima, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil

Doutor em Difusão do Conhecimento pelo Programa de Doutorado Multi-Institucional e Multidisciplinar em Difusão do Conhecimento - DMMDC/UFBA. Professor Adjunto lotado no Departamento de Fundamentos e Processos Informacionais do Instituto de Ciência da Informação da UFBA.

Referências

ARAGÃO, M. A. do C.; BEZERRA, F. T. G. Brasil e as pesquisas com células-tronco: visão geral. Revista da Biologia, v. 9, n. 1, p. 12-15. 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.7594/revbio.09.01.03. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revbiologia/article/view/108727/107150. Acesso em: 13 dez. 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Departamento de Ciência e Tecnologia. Fomento às pesquisas em terapia celular e células-tronco no Brasil. Revista de Saúde Pública, v. 44, n. 4, p. 763-764, 2010. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102010000400022. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rsp/a/XxGd4Y4565zZc786k8HHsCK/?lang=pt#. Acesso em: 4 out. 2021.

FAVERO, L. P.; BELFIORE, P. Manual de Análise de Dados: estatística e modelagem multivariada com Excel, SPSS e Stata. Rio de Janeiro: Elservier, 2017.

FISCHBACH, K.; PUTZKE, J.; SCHODER, D. Co-authorship networks in electronic markets research. ElectronicMarkets, v. 21, n. 1, p. 19-40, 2011. DOI: http://dx.doi.org/10.1007/s12525-011-0051-5. Disponível em: http://www.electronicmarkets.org/fileadmin/user_upload/doc/Issues/Volume_21/Issue_01/V21I1_Co-authorship_networks_in_electronic_markets_research.pdf. Acesso em: 4 out. 2021.

FREEMAN, L. C. Centrality in Social Networks: Conceptual Clarification. Social Networks. Netherlands: Lehigh university. Department of Social Relations, Price Hall. v. 1, p. 215-239, 1978. Disponível em: https://www.cin.ufpe.br/~rbcp/taia/Freeman1979-centrality.pdf. Acesso em: 4 out. 2021.

GOLBECK, J. Network Structure and Measures. In: GOLBECK, J. Analyzing the Social Web, 2013. p. 25–44. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/b978-0-12-405531-5.00003-1. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/B9780124055315000031?via%3Dihub. Acesso em: 30 dez. 2021.

GUIMARÃES, T. de A. et al. A rede de programas de pós-graduação em administração no Brasil: análise de relações acadêmicas e atributos de programas. Rev. Adm. Contemp., Curitiba, v. 13, n. 4, p. 564-582, out./dez. 2009. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1415-65552009000400004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-65552009000400004&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 7 jan. 2019.

KOSEOGLU, M. A. Growth and structure of authorship and co-authorship network in the strategic management realm: evidence from the Strategic Management Journal. BRQ Business Research Quarterly, v. 19, p. 153-170, July/Sept. 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.brq.2016.02.001. Disponível em: https://reader.elsevier.com/reader/sd/pii/S2340943616300019?token=23A0527E6304830EC61E0BD33A81D5CC40E10F9EB321735848D0391F76553599882320D46FCAE3169A49A0B6CC5E6E01&originRegion=us-east-1&originCreation=20220518145000. Acesso em: 2 out. 2021.

KUMAR, S. Co-authorship networks: a review of the literature. Aslib Journal of Information Management, Kuala Lumpur, Malaysia. v. 67, n. 1, p. 55-73, 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.1108/AJIM-09-2014-0116. Disponível em: https://primo.qatar-weill.cornell.edu/permalink/974WCMCIQ_INST/1e7q4lh/cdi_proquest_journals_2080876697. Acesso em: 18 out. 2021.

LI, Ling-Li et al. Global stem cell research trend: Bibliometric analysis as a tool for mapping of trends from 1991 to 2006. Scientometrics, v. 80, n. 1, p. 39-58, 2009. DOI: http://dx.doi.org/10.1007/s11192-008-1939-5. Disponível em: http://dns2.asia.edu.tw/~ysho/YSHO-English/Research%20Group/Wang%20MH/Scientometrics80,%2039.pdf. Acesso em: 13 dez. 2013.

LIMA, M. Y. de. Coautoria na produção científica do PPGGeo/UFRGS: uma análise de redes sociais. Ciência da Informação, Brasília, v. 40, n. 1, p. 38-51, abr. 2011. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-19652011000100003. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ci/a/wQMNJQWRxJBZwPCtttdXqDJ/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 7 jan. 2019.

LOPES, C. R. S. AnCo-REDES_modelo para análise cognitiva com base em redes semânticas: uma aplicação a partir da abordagem estrutural das representações sociais. 2014. 151 f. Tese (Doutorado Multi-institucional e Multidisciplinar em Difusão do Conhecimento). – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/handle/ri/17751. Acesso em: 2 out. 2021.

MACHADO, R. das N.; VARGAS-QUESADA, B.; LETA, J. Intellectual structure in stem cell research: exploring Brazilian scientific articles from 2001 to 2010. Scientometrics, v. 106, n. 2, p. 525-537, 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.1007/s11192-015-1793-1. Acesso em: 9 jan. 2022.

NASCIMENTO, J. O. do; PEREIRA, H. B. de B.; MORET, M. A. Grafos e Teoria de Redes: uma análise do Ensino de Física Brasileiro no período 1972-2006 por meio de cliques de palavras-chave. REVISTA CEREUS, v. 10, n. 2, 4 ago. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.18605/2175-7275/cereus.v10n2p315-339. Disponível em: http://ojs.unirg.edu.br/index.php/1/article/view/2278/675. Acesso em: 9 jan. 2022.

NEWMAN, M. E. J. Coauthorship networks and patterns of scientific collaboration. Proceedings of the National Academy of Sciences, v. 101, n. 1, p. 5200-5205, Apr. 2004. DOI: http://dx.doi.org/10.1073/pnas.0307545100. Disponível em: https://www.pnas.org/doi/epdf/10.1073/pnas.0307545100. Acesso em: 20 jan. 2018.

OLIVEIRA JUNIOR, E. Q. A ética médica, a bioética e os procedimentos com células-tronco hematopoéticas. Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, v. 31, supl. 1, p. 157-164. maio 2009. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1516-84842009005000040. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbhh/a/S8PqwSL8DypXMyRfLNDfcVq/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 2 jan. 2022.

OTTE, E.; ROUSSEAU, R. Social Network Analysis: a powerful strategy, also for the information sciences. Journal of Information Science, v.28, n. 6 p. 441-453, 2002. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/016555150202800601. Acesso em: 11 maio 2010.

PANIAGUA LÓPES, J. A. Curso de análisis de redes sociales: metodología y estudios de caso. Granada: Editoral Universidad de Granada, 2012.

PRICE, D. S. Little science, big science. New York: Columbia University Press, 1963. 136 p.

REDE NACIONAL DE TERAPIA CELULAR (RNTC). Disponível em: http://www.rntc.org.br/centros-de-tecnologia-celular.html. Acesso em: 23 dez. 2021

SAMPAIO, R. B. et al. A colaboração científica na pesquisa sobre coautoria: um método baseado na análise de redes. Perspectivas em Ciência da Informação, [s.l.], v. 20, n. 4, p. 79-92, dez. 2015. ISSN 19815344. Disponível em: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/2447. Acesso em: 29 dez. 2021.

SAMPAIO, R. B. As estruturas globais e regionais do campo de pesquisa, desenvolvimento e inovação das doenças negligenciadas leishmaniose e tuberculose sob a ótica das redes complexas. 2015. 216 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Faculdade de Ciência da Informação da Universidade de Brasília. Brasília, 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.26512/2015.07.T.19126. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/19126. Acesso em: 27 mar. 2019.

SILVA, M. M. da., REGIS, H. P. Perspectiva histórica da análise de redes sociais. In: BASTOS, A. V. R.; LOIOLA, E.; REGIS, H. P. (org.). Análise das redes sociais em contextos organizacionais. Salvador: EDUFBA, 2015. p. 23-39.

WANDERLEY, A. J. et al. Identificando correlações entre métricas de Análise de Redes Sociais e o h-index de pesquisadores de Ciência da Computação. In: BRAZILIAN WORKSHOP ON SOCIAL NETWORK ANALYSIS AND MINING (BRASNAM), 3., 2014, Brasília. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2014. p. 45-56. ISSN 2595-6094. Disponível em: https://sol.sbc.org.br/index.php/brasnam/article/view/6802/6695. Acesso em: 18 dez. 2021.

ZHAO, D.; STROTMANN, A. Intellectual structure of stem cell research: a comprehensive author co-citation analysis of a highly collaborative and multidisciplinary field. Scientometrics, v. 87, p. 115 – 113, Apr. 2011. DOI: http://dx.doi.org/10.1007/s11192-010-0317-2. Disponível em: https://pure.knaw.nl/ws/portalfiles/portal/479068/2011_Gurney_T_Scientometrics_91_2.pdf. Acesso em: 5 maio 2020.

ZORZANELLI, R. T. et al. Pesquisa com células-tronco no Brasil: a produção de um novo campo científico. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p. 129-144. jan./mar. 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-59702016005000026. Disponível em: https://www.scielo.br/j/hcsm/a/HpHtsFVjQLN8RTVBFWzzZMh/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 18 ago. 2019.

Downloads

Publicado

25-05-2022

Como Citar

MACHADO, R. das N. .; LIMA, G. L. de Q. Redes de coautoria da produção científica brasileira na área de células-tronco: estudo compreendendo o período de 2001-2020. Revista Informação na Sociedade Contemporânea, [S. l.], v. 6, n. 1, p. e27743, 2022. DOI: 10.21680/2447-0198.2022v6n0ID27743. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/informacao/article/view/27743. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê XV Encontro Nacional de Informação e Pesquisa em Informação (CINFORM)