Diversidade pedagógica de formação humana no ideário democrático em escolas confessionais

  • Jardel Costa Pereira Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)
  • Geyza Spitz Alcoforado de Abreu Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Loyde Anne Carreiro Silva Veras Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Palavras-chave: Ensino Confessional, Estado Laico, Pluralidade Religiosa, Protestantismo, Cultura Escolar

Resumo


Este artigo analisa o estabelecimento de três escolas protestantes e seus projetos educacionais estabelecidos no final do século XIX e nos meados do século XX. Têm-se o intuito de percebê-los como norteadores de práticas pedagógicas plurais, quando a identidade protestante estava em construção no Brasil. Utilizou-se de uma revisão bibliográfica com um referencial teórico diversificado de acordo com as pesquisas realizadas. Conclui-se que houve a abertura e o estabelecimento de um solo fértil de projetos educacionais o que favoreceu a atuação de intelectuais vinculados a uma religião específica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Geyza Spitz Alcoforado de Abreu, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutora em Educação, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, Brasil,

Loyde Anne Carreiro Silva Veras, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, Brasil

Referências

A GAZETA. Lavras, 11 set. 1931.
Abreu, Geysa Spitz Alcoforado de. (2003). Escola Americana de Curitiba (1892-1934): um estudo do americanismo na cultura escolar. Dissertação de mestrado. PUC/SP.
Abreu, Geysa Spitz Alcoforado de. (2011). O Ensino regular da Caligrafia: a experiência da Escola Americana de Curitiba no Final do Século XIX e início do século XX. Revista HISTEDBR On-line, v. 43, p. 132-142.
Capri, Roberto. (1923). Estado do Paraná. São Paulo: Empresa Editora Brasil – CAPRI & OLIVERO.
Castro, Cesar Augusto; Silva, Diana Rocha da. (2016). A institucionalização dos grupos escolares no Maranhão. Revista Linhas. Florianópolis, v. 17, n. 33, p. 284-308, jan./abr. 2016.
Chamon, Carla Simone. (2005). Maria Guilhermina Loureiro de Andrade:
a trajetória profissional de uma educadora (1869/1913). Tese (doutorado) – Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Educação. Belo Horizonte: FaE.
Chartier, Roger. (2002). A história cultural, entre práticas e representações. Trad. Maria Manuela Galhardo, 2a ed. Difel editora. 2002. Coleção Memória e sociedade.
Cruz, Mariléia dos Santos. (2013). Ampliação e Modernização do sistema de ensino primário no interior do Maranhão. VII Congresso Brasileiro de História da Educação [anais].
Foucault, Michel. (2013). Vigiar e punir: história da violência nas prisões. Petrópolis, RJ: Vozes.
Gammon, Clara. (1959). Assim brilha a luz: a vida de Samuel R. Gammon. Lavras: Imprensa Gammon.
Goldman, Frank P. (1972). Os pioneiros americanos no Brasil: educadores, sacerdotes, covos e reis. Tradução: KRÁHENBÜHL, Olívia. São Paulo: Pioneira.
Hilsdorf, Maria Lúcia Spedo. (1977). Escolas americanas de confissão protestante na Província de São Paulo, um estudo de suas origens. Dissertação de Mestrado. São Paulo: USP.
Hilsdorf, Maria Lúcia Spedo. (1986). Francisco Rangel Pestana: jornalista, político, educador. 1986. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo. São Paulo.
Hunt, Lynn. (1995). A nova história cultural. São Paulo: Martins Fontes.
Julia, Dominique. (2001). A Cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação. Tradução: Gizele de Souza. São Paulo: Autores Associados, n. 1, janeiro/junho, pp. 9-43.
Laguna, Shirley Puccia. (1999). Reconstrução histórica do Curso Normal da Escola Americana de São Paulo (1889-1933). Internato de meninas: uma leitura de seu cotidiano e da instrução e educação feminina aí ministradas. Dissertação de mestrado, Programa de História e Filosofia da Educação, da Pontifícia Universidade de São Paulo.
Maciel, M. M. (2018). Educación religiosa y regulaciones del cuerpo. History of Education in Latin America - HistELA, 1, e16404. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/histela/article/view/16404. Acesso em: 18 mar. 2020.
Melo, Sandra Maria Barros Alves. (2012). Percurso histórico da formação de professores para a escola primária no Maranhão: Império e República Velha. IX Seminário Nacional de Estudos e Pesquisas “História, sociedade e educação no Brasil” [anais], Universidade Federal da Paraíba – João Pessoa.
Mesquida, Peri. (1994). Hegemonia norte-americana e educação protestante no Brasil: um estudo de caso. Trad. Celso Rodrigues Filho. Juiz de Fora: EDUJF; São Bernardo do Campo: Editeo.
Mills, Eva Yarwood. (1976). Eva. 8:28. Lancaster: Brookshire Publications.
Mills, Eva Yarwood. (1985). Entrevista concedida a Charles Stoner em 25 de março de 1985.
Nascimento, Ester Fraga Carvalho. (2007). Educar, Curar, Salvar: uma ilha de civilização no Brasil tropical. Maceió: Editora da Universidade Federal de Alagoas.
Nunes, Maria Thetis. (1992). Ensino secundário e sociedade brasileira. São Cristóvão: Ed. Universidade Federal de Sergipe.
O INSTITUTO. Lavras, jun. 1931.
PROSPECTO das Escolas do Instituto Evangélico. Biblioteca do Instituto Presbiteriano Gammon. Lavras, 1925.
PROSPECTO do Instituto Evangélico. Biblioteca do Instituto Presbiteriano Gammon. Lavras, 1921.
PROSPECTO do Instituto Evangélico. Biblioteca do Instituto Presbiteriano Gammon. Lavras, 1925.
PROSPECTO do Instituto Evangélico. Casa Editora Presbyteriana: Lavras, 1908.
PROSPECTO INSTITUTO GAMMON. Biblioteca do Instituto Presbiteriano Gammon. Lavras, 1937.
Silva, Abdoral Fernandes da. (1997). Nossas raízes: a história da Aliança das Igrejas Cristãs Evangélicas do Norte do Brasil (AICENB). 2 ed. São Luís.
Smith, Dugal. (1986). Fazendo progresso. São Paulo: Imprensa Batista Regular.
Souza, Rosa Fátima de. (1998). Templos de civilização: a implantação da escola primária graduada no Estado de São Paulo (1890-1910). São Paulo: Fundação Editora da Unesp.
Vago, Tarcísio Mauro Vago. (2002). Cultura escolar, cultivo de corpos: educação physica e gymnastica como práticas constitutivas dos corpos de crianças no ensino público primário de Belo Horizonte (1906-1920). Bragança Paulista: EDUSF.
Veiga, Cynthia Greive. (2002). A escolarização como projeto de civilização. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 21, p. 90-103, set./dez. 2002.
Veras, Loyde Anne Carreiro Silva. (2017). Memórias da Terra de Beulá: a construção de uma vida e produção de um lugar nas autobiografias de Eva Mills. 2017. Dissertação (Mestrado em Educação). Escola de Educação e Humanidades. Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR, Curitiba, 2017.
Veras, Rogério de Carvalho.
(2005). Entre bodes e embatinados: representações de um conflito religioso no Maranhão. [monografia] Curso de História da Universidade Federal do Maranhão. – São Luís.
Warde, Mirian Jorge. (2001). Americanismo e Educação: a fabricação do “homem novo”. Projeto de pesquisa desenvolvido no Programa EHPS – PUC-SP, com apoio da Capes e do CNPq.
Publicado
23-04-2020
Como Citar
Pereira, J. C., Abreu, G. S. A. de, & Veras, L. A. C. S. (2020). Diversidade pedagógica de formação humana no ideário democrático em escolas confessionais. History of Education in Latin America - HistELA, 3, e20525. Recuperado de https://periodicos.ufrn.br/histela/article/view/20525
Edição
Seção
Artigos