ENSINO DE CIÊNCIAS SOCIAIS NO BRASIL: A FORMAÇÃO DO PENSAMENTO SOCIAL BRASILEIRO E AS LUTAS PELA INSTITUCIONALIZAÇÃO NO ENSINO MÉDIO

  • Karla Danielle da Silva Souza
  • Fernando Francelino Lopes Júnior
Palavras-chave: Pensamento, Sociologia, Ensino.

Resumo

O Ensino de Ciências Sociais no Brasil tem sua trajetória marcada por muitos elementos: políticos, ideológicos e culturais. Seu percurso de busca pela consolidação na Educação Básica está relacionado à formação do pensamento social brasileiro que transita entre a importação de teorias estrangeiras ao modelo nacional até as mudanças no imaginário da cultura e identidade brasileiras. As lutas em busca da institucionalização do Ensino de Ciências Sociais/Ensino de Sociologia (nomenclatura que recebe na etapa do Ensino Médio) se configuram, inicialmente, como necessidade de uma Sociologia pragmática e crítica e também como instrumento de cidadania. Posteriormente, a presença da Sociologia na Rede Básica se apresenta a partir de duas especificidades,  características próprias: estranhamento e desnaturalização, conforme apontam os documentos oficiais que versam sobre essa etapa de ensino, OCN’s (Orientações Curriculares Nacionais) e PCN’s (Parâmetros Curriculares Nacionais). Esse trabalho se estrutura a partir da relevância de pensadores como Antônio Cândido, Silvio Romero, Manoel Bonfim, Alberto Tôrres, Euclides da Cunha, Oliveira Vianna, Florestan Fernandes, Octavio Ianni, Sérgio Buarque de Holanda, Gilberto Freyre, entre outros, para a formação do pensamento social brasileiro. Procuramos estabelecer um diálogo entre as contribuições desses autores e a consolidação da obrigatoriedade do Ensino de Sociologia no Educação Básica no Brasil. Para isso, contamos com a colaboração de autores como Dimas (2009), Florêncio (2009), Kinzo (2001), Liedke Filho (2005) e outros. Nossas reflexões iniciais apontam para um cenário permeado por uma trajetória de transformações, avanços e retrocessos no contexto político e social nacional acompanhado de mudanças na formação do pensamento social brasileiro. Nesse sentido, compreendemos a importância dos estudos desenvolvidos pelos autores citados para as interpretações sobre o Brasil, sua cultura e sua identidade até as configurações atuais. Esses fatores desencadeiam processos significativos que perpassam os movimentos que vão resultar na presença do Ensino de Ciências Sociais nos currículos acadêmicos e escolares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karla Danielle da Silva Souza
 Doutoranda mestre, licenciada e bacharel em Ciências Sociais pela UFRN. Especialização em Literatura e Ensino pelo IFRN e em Ensino de Sociologia no Ensino Médio pela Universidade Livre do Brasil/UFRN. Professora de Sociologia na Rede Estadual de Ensino do RN. Editora da Seção Ensino de Ciências Sociais da Revista Inter-Legere. 
Fernando Francelino Lopes Júnior
Licenciado e bacharel em Ciências Sociais pela UFRN. Especialização em Literatura e Ensino pelo IFRN e em Ensino de Sociologia no Ensino Médio pela Universidade Livre do Brasil/UFRN. Professor de Sociologia na Rede Estadual de Ensino do RN.
Publicado
21-09-2017
Como Citar
DA SILVA SOUZA, K.; LOPES JÚNIOR, F. ENSINO DE CIÊNCIAS SOCIAIS NO BRASIL: A FORMAÇÃO DO PENSAMENTO SOCIAL BRASILEIRO E AS LUTAS PELA INSTITUCIONALIZAÇÃO NO ENSINO MÉDIO. Revista Inter-Legere, v. 1, n. 20, p. 130-148, 21 set. 2017.