A EPISTEMOLOGIA DO BARRACO: UMA BREVE HISTÓRIA DO MOVIMENTO LGBTI EM GERAL

Autores

  • Emilly Mel Fernandes de Souza
  • Leilane Assunção da Silva

DOI:

https://doi.org/10.21680/1982-1662.2017v1n21ID13539

Palavras-chave:

Barraco. Pessoas trans.História. Movimento LGBTI.

Resumo

As pessoas trans, em especial as travestis e transexuais, são sempre taxadas de “barraqueiras”. Depois de tantas violações, o “barraco” se tornou uma ferramenta em sua luta cotidiana por direitos considerados básicos. Este trabalho discorre sobre o surgimento do Movimento LGBTI em geral, pensando aspectos do Brasil, mas, também,do contexto internacional. Apesar de no Brasil esse movimento ter começado com gays cisgêneros, internacionalmente ele começou com duas travestis, e foram elas que tiveram o pioneirismo de organizar as primeiras paradas LGBTI,que se tornaram referência para o mundo. Ainda neste trabalho se discute o descolamento do movimento “T”, em relação ao LGBTI, que passou a pôr suas questões em evidência e a lutar, muitas vezes via “barraco”, por direitos básicos de existência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emilly Mel Fernandes de Souza

Mestranda pelo Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Leilane Assunção da Silva

Pós-doutoranda e doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). 

Downloads

Publicado

21-02-2018

Como Citar

FERNANDES DE SOUZA, E. M.; ASSUNÇÃO DA SILVA, L. A EPISTEMOLOGIA DO BARRACO: UMA BREVE HISTÓRIA DO MOVIMENTO LGBTI EM GERAL. Revista Inter-Legere, [S. l.], v. 1, n. 21, p. 106–121, 2018. DOI: 10.21680/1982-1662.2017v1n21ID13539. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/interlegere/article/view/13539. Acesso em: 12 jul. 2024.

Edição

Seção

DOSSIÊ PERSPECTIVAS CONTEMPORÂNEAS DE GÊNERO(S) E SEXUALIDADE(S)