Direito ao esquecimento e sua representação

uma abordagem etnográfica com diretores de arquivos públicos Capixabas, Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2447-0198.2022v6n0ID25322

Palavras-chave:

Apropriação da informação, Etnometodologia, Introjeção do conhecimento, Prática informacional, Direito à Informação

Resumo

Estudo realizado com três diretores de Arquivos Públicos municipais no Estado do Espírito Santo, que tomam a memória e o esquecimento como protagonistas do processo dinâmico da cultura popular. Busca-se regatar a percepção sobre o direito ao esquecimento, e de como a essa temática repercute em termos de sentidos sociais amplos. A figuração do esquecimento o torna um direito questionável. Assim, pretende-se entender a representação desse contexto na infoera. O diagnóstico é interpretado à luz da etnometodologia corrente: indivíduos constroem a realidade social em que estão inseridos. Os resultados mostram as introjeções de saberes dos dirigentes de arquivos com relação ao direito ao esquecimento nas vias do método de história oral de vida, trazendo relatos de alguns personagens marcantes na correlação desse tema. Conclui que o direito ao esquecimento, perante o período da pandemia da Covid-19, pauta provocações vastas e envolve a democracia e a liberdade de impressa, a comunicação sócio-digital, a privacidade e as questões éticas e o situar da responsabilidade social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rogério Zanon da Silveira , UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO – UFES; Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES, 29075-910.

Doutor em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais (CEPEAD-UFMG - 2015). Mestre em Administração pela Universidade Federal do Espírito Santo (PPGADM-UFES) (2010) e Mestre em Ciências Contábeis pelo Instituto Nelson Abel de Almeida ? ES (2003). Pós-graduado em Integração Econômica e Direito Internacional Fiscal pela Escola de Administração Fazendária (ESAF) (2005). Pós-graduado em Política e Estratégia Empresarial e graduado em Ciências Contábeis pela Universidade Cândido Mendes (2000). Professor Adjunto da Universidade Federal do Espírito Santo. Professor Permanente do Mestrado Profissional em Planejamento e Gestão Pública (UFES). Interesse de pesquisa: Administração Pública. Participação, democracia e subjetividade nas organizações públicas e privadas. Gestão Ambiental. Terceiro Setor.

https://scholar.google.com.br/citations?user=0ZrLFukAAAAJ&hl=pt-BR

Universidade Federal do Espírito Santo (PPGADM-UFES)

https://www.linkedin.com/in/rog%C3%A9rio-zanon-da-silveira-a0b97044/?originalSubdomain=br

https://gestaopublica.ufes.br/pos-graduacao/PGGP/detalhes-de-pessoal?page=0%25252C0%25252C0%25252C0%25252C0&id=8841

https://gestaopublica.ufes.br/pos-graduacao/PGGP/detalhes-de-pessoal?page=0%25252C0%25252C0%25252C0%25252C0&id=8841

 

Marcelo Calderari Miguel, UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO – UFES

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO – UFES / Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas - CCJE. Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES, 29075-910

Administrador e Bibliotecário; pós-graduado em Estatísticas e especialista em Educação Científica pela Universidade Federal de Minas Gerais. Possui experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Processos de Disseminação da Informação. Atua em núcleos de Informação e Ação Cultural nas dimensões de gestão comunitária e tecnológica. Áreas de interesse: Comportamento Informacional; EaD e Tecnologias Educacionais; Estudo de Usuários em Unidades de Informação; Ontologias; Memória, Museus e Patrimônio; Políticas Públicas e Sociais; Processo de Desenvolvimento de Serviços; Representação e Recuperação da Informação e do Conhecimento; Tratamento Cognitivo da Informação; Usos Políticos Da Memória.

 

ORCID iD http://orcid.org/0000-0002-7876-9392 URL https://brapci.inf.br/index.php/res/v/30539 Instituição/Afiliação UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO – UFES; Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES, 29075-910

Jonatan Lappa de Lima, Faculdade do Espírito Santo - UNES Campus 1 | Rua Moreira, 23 | Bairro Independência - Cachoeiro de Itapemirim - ES

Bacharel em Direito pela Faculdade do Espírito Santo - UNES, Pós-Graduado em Direito Constitucional e Penal pela Faculdade de Direito Damásio de Jesus - FDDJ. Atua como advogado criminalista. Tem experiência em metodologia científica, história da Filosofia, Propriedade Intelectual e Industrial e Direito Civil.

JONATAN LAPPA DE LIMA (25309/ES)

Advogado Criminalista, OAB/ES 25.309.

Especialista em Direito Penal e Constitucional pela Faculdade Damásio.

Referências

ALBERGARIA, Danilo. Ambiguidades do bem-estar na cultura histórica. ComCiência, Campinas, n. 119, 2010. Disponível em: https://www.dicyt.com/viewNews.php?newsId=18477. Acesso em: 14 fev. 2021.

ALENCAR, Ianara de Sousa; PACHECO, Ludgard Vinicius Andrade; FERREIRA, Rodrigo Leal. A Evolução do conceito de privacidade diante das novas tecnologias utilizadas nos Correios Eletrônicos (e-mail). Revista de Direito UNINOVAFAPI, Teresina, v. 1, n. 1, 2016. Disponível em: https://revistainterdisciplinar.uninovafapi.edu.br/index.php/revinterdireito/article/view/1106. Acesso em: 4 mar. 2021.

BAGATINI, José Augusto; GUIMARÃES, José Augusto Chaves. Quando a memória encontra a internet. Ibersid: revista de sistemas de información y documentación, v. 15, n. 2, p. 67-72, 2021. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/168275. Acesso em: 14 jan. 2022.

BARROS, Manoel de. Conversas por escrito: Entrevistas: 1970-1989. In: BARROS, Manoel de. Gramática Expositiva do chão: poesia quase toda. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1996. p. 305-343.

BARROSO, Luís Roberto. Interpretação e aplicação da Constituição. 7. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

BISPO, Marcelo de Souza; GODOY, Arilda Schmidt. Etnometodologia: uma proposta para pesquisa em estudos organizacionais. Revista de Administração da Unimep, Piracicaba, v. 12, n. 2, p. 108-135, 2014. Disponível em: http://biblat.unam.mx/es/revista/revista-de-administracao-da-unimep/articulo/etnometodologia-uma-proposta- para-pesquisa-em-estudos-organizacionais. Acesso em: 27 fev. 2021.

BRÍGIDO, Carolina. Por nove votos a um, STF decide que não há direito ao esquecimento. Extra: Editor Globo, Rio de Janeiro, Infoglobo Comunicação, Notícias, fev. 2021. Disponível em: http://s.extra.globo.com/noticias/brasil/por-nove-votos-um-stf-decide-que-nao-ha-direito-ao-esquecimento-24879087.html Acesso em: 27 fev. 2021.

CARDOSO, Antônio Luiz Mattos de Souza; COSTA, Rosa da Penha Ferreira da; MIGUEL, Marcelo Calderari. A ação prática de contar história sobre a morte: o que muda ao dizer adeus. Revista Fontes Documentais, Aracaju, v. 4, n. 1, p. 7-26, 2021. Disponível em: https://aplicacoes.ifs.edu.br/periodicos/fontesdocumentais/article/view/764. Acesso em: 13 set. 2021.

CARVALHO, Sandra Maria Souza de; ALDABALDE, Taiguara Villela; MIGUEL, Marcelo Calderari. Nativos digitais e seus olhares para a imagem da biblioteca escolar: a visibilidade do bibliotecário como mediador da informação na rede municipal de educação de Vila Velha, ES, Brasil. Biblioteca Escolar em Revista, v. 7, n. 1, p. 1-23, 2020. DOI: 10.11606/issn.2238-5894.berev.2020.164891. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/berev/article/view/164891. Acesso em: 14 jan. 2021.

CHARTIER, Roger. Inscrever & apagar: cultura escrita e literatura (séculos XI-XVIII). São Paulo: UNESP, 2007.

COULON, Alain. Ethnomethodology. Tousand Oaks: Sage, 1995.

DAMASCENO-MORAIS, Rubens. O carpinteiro e a madeira: a constituição de corpora jurídicos em perspectiva etnometodológica. Revista De Estudos Da Linguagem, Belo Horizonte, v. 29, n. 2, p. 673-709, mar. 2021. Disponível em: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.29.2.673-709. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/relin/article/view/17301. Acesso em: 23 abr. 2021.

DENZIN, Norman Kent; LINCOLN, Yvonna Sessions. O Planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. 2. ed. Porto Alegre: ArtMed, 2006. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-760889. Acesso em: 12 set. 2021.

DUMONT, Lígia Maria Moreira; RAMOS, Rubem Borges Teixeira. A leitura de histórias em quadrinhos da Marvel e da DC Comics e a etnometodologia: relevância e desdobramentos. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, n. 23, v. 3, p. 188-205, 2018. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/v/93386. Acesso em: 4 mar. 2021.

GAMESPOT. Oblivion: o esquecimento aparece em 41 edições. Redventures, Carolina do Sul, wiki de personagens, jul. 2020. Disponível em: https://comicvine.gamespot.com/oblivion/4005-2496/ Acesso em: 5 mar. 2021.

GUESSER, Adalto Herculano. A etnometodologia e a análise da conversação e da fala. Em Tese - Revista Eletrônica dos Pós-Graduandos em Sociologia Política da UFSC, Florianópolis, v. 1, n. 1, 2003, p. 149-168. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/emtese/article/view/13686. Acesso em: 4 mar. 2021.

KAUFMANN, Jean-Claude. L'entretien compréhensif. Paris: Éditions Nathan, 1996.

MARTINS, Frederico Cordeiro; REIS, Priscila; MARQUES, Rodrigo Moreno. Esquecimento digital nos tribunais brasileiros: o direito ao esquecimento nos acórdãos no superior tribunal de justiça. Informação & Informação, v. 26, n. 1, p. 74-93, 2021. DOI: 10.5433/1981-8920.2021v26n1p74. Disponível em: https://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/39040.Acesso em: 14 jan. 2022.

MORAES, Lúcio Flávio Renault de; MAESTRO FILHO, Antonio Del; DIAS, Devanir Vieira. O paradigma weberiano da ação social: um ensaio sobre a compreensão do sentido, a criação de tipos ideais e suas aplicações na teoria organizacional. RAC – Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 7, n. 2, p. 57-71, 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rac/v7n2/v7n2a04.pdf. Acesso em: 17 fev. 2021.

MORSE, Janice Margaret et al. International Journal of Qualitative Methods, Newbury Park, v. 1, n. 2, 2002. Disponível em: https://doi.org/10.1177%2F160940690200100202. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/160940690200100202. Acesso em: 14 fev. 2021.

NUNES, Jefferson Veras; CARNEIRO, Bárbara Luisa Ferreira; SILVA, Antônio Wagner Chacon. Etnografia como possibilidade metodológica para a ciência da informação. Biblios, Lima, n. 77, p. 15-26, 2019. Disponível em:http://dx.doi.org/10.5195/biblios.2019.498. Acesso em: 14-fev. -2021.

OLIVEIRA, Samir Adamoglu de; MONTENEGRO, Ludmilla Meyer. Etnometodologia: desvelando a alquimia da vivência cotidiana. Cad. EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, p. 129-145, mar. 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cebape/v10n1/09.pdf. Acesso em: 14 fev. 2021.

RAMOS, Rubem Borges Teixeira. O que dizem as leitoras de histórias em quadrinhos de super-heróis sobre essa leitura. Cajueiro: Ciência da Informação e Cultura da Leitura, São Cristóvão, v. 1, n. 2, p. 198-224, 2019. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/v/139380. Acesso em: 4 mar. 2021.

REGIS, Fátima. Memória e esquecimento na Grécia Antiga: da complementaridade à contradição. Logos, Rio de Janeiro, v. 4, n. 2, p. 20-24, jan. 2015. ISSN 1982-2391. Disponível em: www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/logos/article/view/14592. Acesso em: 3 mar. 2021.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: Ed. UNICAMP, 2007.

SANTOS NETO, Antonio Tavares dos. O direito ao esquecimento: uma exigência contemporânea. 2015. 47 f. Monografia (Bacharelado em Direito) – Universidade de Brasília, Brasília, 2015. Disponível em: www.bdm.unb.br/handle/10483/10796. Acesso em: 4 mar. 2021.

Downloads

Publicado

21-02-2022

Como Citar

SILVEIRA , R. Z. da; MIGUEL, M. C. .; LIMA, J. L. de . Direito ao esquecimento e sua representação: uma abordagem etnográfica com diretores de arquivos públicos Capixabas, Brasil . Revista Informação na Sociedade Contemporânea, [S. l.], v. 6, n. 1, p. e25322, 2022. DOI: 10.21680/2447-0198.2022v6n0ID25322. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/informacao/article/view/25322. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos