Gestão Documental do Dossiê Funcional de Servidores de Escolas Públicas

uma revisão da literatura nacional e internacional publicada em periódicos científicos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2447-0198.2021v5n0ID25996

Palavras-chave:

Gestão Documental., Metodologia de Gestão Documental, Documentos Arquivísticos, Recuperação da Informação, Dossiê Funcional

Resumo

Decorrente do avanço tecnológico que a sociedade vivencia, os processos utilizados nas instituições tendem a sofrer mudanças, que são essenciais e necessárias, utilizando-se de ferramentas e metodologias capazes de modificar as rotinas nos processos até então considerados eficazes.Neste contexto, na área da educação não seria diferente, especificamente, no que se refere às escolas públicas e aos processos de Gestão de Documentos Arquivísticos (GDA), especialmente, aqueles produzidos no setor de Departamento de Pessoal (DP) das escolas. Pressupõe-se que tais instituições não possuem uma metodologia de GDA padrão e institucionalizada, para implementar os processos de GDA: tratar, organizar, controlar, acessar e recuperar os documentos arquivísticos do DP, especificamente, aqueles que compõem o dossiê funcional. Metodologia esta que permitiria a implementação dos processos de GDA, garantindo qualidade e melhoria nos serviços. Assim, fica eminente a necessidade de se definir e implementar uma metodologia de GDA que garanta a padronização dos referidos processos de GDA. O presente artigo busca, diante do pressuposto anunciado, identificar como tem sido tratada a nível nacional e internacional, a definição e aplicação de uma metodologia de GDA, no que tange a gestão do dossiê funcional de servidores que atuam em escolas públicas. Como método para alcançar tal objetivo, realizou-se uma Revisão Sistemática de Literatura (RSL). Não foi localizado número representativo de estudos que evidenciam definição e aplicação de metodologias de GDA nas escolas públicas, o que evidencia lacunas a serem investigadas e preenchidas, com foco na GDA em escolas públicas e especificamente em documentos arquivísticos de cunho trabalhista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elisangela Cristina Aganette, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Professora Adjunta da Escola de Ciência da Informação, ECI/UFMG.

Mestre e Doutora em Ciência da Informação.

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BARTALO, Linete; MORENO, Nádina Aparecida (org.). Gestão em arquivologia: abordagens múltiplas. Londrina: Eduel, 2008.

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Como fazer análise diplomática e análise tipológica de documentos de arquivo. São Paulo: Arquivo do Estado de São Paulo, 2002.

BIOLCHINI, Jorge et al. Systematic review in software engineering. Technical Report ES, Rio de Janeiro, v. 679, n. 5, p. 1-30, 2005. Disponível em: https://www.cos.ufrj.br/uploadfile/es67905.pdf. Acesso em: 30 jan. 2021.

BOWLER, Leanne; HONG, Wan-Yin; HE, Daqing. The visibility of health web portals for teens: a hyperlink analysis. Online Information Review, v. 35, n. 3, p. 412-426, 2011.

BRAQUET, Donna. Library experiences of hurricane katrina and new orleans flood survivors. LIBRES Library and Information Science Research Electronic Journal, v. 20, mar. 2010.

DANTE, Glória Ponjuán. Gestión de la información: dimensiones e implementación para el éxito organizacional. Rosario: Nuevo Parhadigma, 2004.

DURANTI, Luciana. The Concept of Electronic Record. In: Preservation of the integrity of Electronic Records. The Archivist’ Library, v. 2, p. 46-67, 2002.

HART, Genevieve. The Information Literacy Education Readiness of Public Libraries. International Journal of Libraries and Information services, v. 56, p. 48-62, 2006.

HASHMI, Farhana; AMEEN, Kanwal; SOROYA, Saira. Does postgraduate degree make any difference in job performance of information professionals? Library Management, v. 41, n.1, p. 14-27, 2020.

HEREDIA, Antônia Herrera. Lenguaje y vocabulario archivísticos: algo más que un dicionário. Sevilla: Consejeria de Cultura, 2011.

INDOLFO, Ana Celeste. Gestão de documentos: uma renovação epistemológica no universo da arquivologia. Arquivística.net, v. 3, n. 2, p. 28-60, 2007. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/50444. Acesso em: 12 jul. 2021.

JACSO, Peter. The JISC Academic Database Assessment Tool – virtues and vices. Information Review, v. 34, p. 806-814, 2010.

JARDIM, José Maria. As relações entre a Arquivística e a Ciência da Informação. Rio de Janeiro: Informare, 2007.

LATHAM, Kiersten. Medium Rare: Exploring Archives and Their Conversion from Original to Digital Part Two— The Holistic Knowledge Arsenal of Paper-based Archives. LIBRES: Library & Information Science Research Electronic Journal, v. 21, n. 1, p. 16-45, Jan. 2011.

LOPES, Luiz Carlos. A nova arquivística na modernização administrativa. 2. ed. Brasília: Projeto, 2009.

LUGYA, Frederick Kiwuwa. User-friendly libraries for active teaching and learning: A case of business, technical and vocational education and training colleges in Uganda. Information and Learning Sciences, v. 119, p. 275-294, 2018.

LUSTOSA, Jeová Gomes. O comportamento informacional de pesquisadores e gerentes. In: TARGINO, Maria das Graças; CASTRO, Mônica Maria Machado Ribeiro Nunes de (org.). Desafiando os domínios da informação. Teresina, PI: EDUFPI, 2002.

MOORE, Anne Cooper; WELLS, Kimberly A. Connecting 24/5 to millennials: Providing academic support services from a learning commons. The Journal of Academic Librarianship, v. 35, n. 1, p. 75-85, Jan. 2009.

MOSE, Peter; KASCHULA, Russel. International book donors and public libraries as partners in primary school literacy development in Kenya: Literacy prospects and obstacles. Library Management, v. 40, n. 6/7, p. 392-401, 2019.

ORTEGA, Cristina Dotta. A noção de documento: de Otlet aos dias de hoje. Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação e Biblioteconomia, n. 2, v. 5, 2010.

RODRIGUEZ, Vivian M.; CORONA, Rosalie; BORDURTHA, Joann N.; QUILLIN, John M. Family Ties: The Role of Family Context in Family Health History Communication about Cancer. Journal Health Commun, v. 21, n. 3, p. 346–355, Mar. 2016.

ROUSSEAU, Jean Yves; COUTURE, Carol. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1998.

RUFFIN, Angela B.; COGDILL, Keith; KUTTY, Lalitha; HUDSON-OCHILLO, Michelle. Access to Electronic Health Information for the Public: Analysis of Fifty-Three Funded Projects. Library Trends; Baltimore, USA, v. 53, p. 434-452, winter 2005.

SANTOS, Henrique Machado. Estratégias de preservação digital para documentos arquivísticos: uma breve reflexão. Cadernos BAD, Lisboa, n. 1, 2015.

SLONE, Debra. Internet search approaches: The influence of age, search goals, and experience. School of Library and Information Studies, Clark Atlanta University - USA, 2003.

SOUZA, Ricardo Rodrigues. Sistemas de recuperação de informações e mecanismos de busca na web: panorama atual e tendências. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.11, n.2, 2006.

UMUNNA, Anthony Opara; JAMES, Valencia Sindiwe; RICKS, Esmeralda J. The experiences the management planning of oral health services in Lesotho, Africa. Rural remote health, Geelong, v. 9, n. 4, p. 1213, Oct./Dec. 2006.

YILMA, Tesfahum Melese; INTHIRAN, Anushia; REIDPATH, Daniel D.; ORIMAYE, Sylvester Olubolu. Context-based interactive health. Information searching Information Research, v. 24, n. 2, June 2019. Disponível em: http://InformationR.net/ir/24-2/paper815.html. Acesso: 9 nov. 2020.

Downloads

Publicado

06-12-2021

Como Citar

ARAUJO, J. J. de; AGANETTE, E. C. . Gestão Documental do Dossiê Funcional de Servidores de Escolas Públicas: uma revisão da literatura nacional e internacional publicada em periódicos científicos. Revista Informação na Sociedade Contemporânea, [S. l.], v. 5, p. e25996, 2021. DOI: 10.21680/2447-0198.2021v5n0ID25996. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/informacao/article/view/25996. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos