Representação descritiva de documentos musicográficos

análise dos atributos de descrição bibliográfica e de autoridade da partitura ‘Ó abre alas’

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2447-0198.2022v6n0ID27477

Palavras-chave:

Representação descritiva, Partituras, Catalogação de documentos musicais

Resumo

Esta pesquisa buscou analisar os atributos de descrição bibliográfica e de autoridade de documentos musicográficos, a partir do Código de Catalogação Anglo-Americano (AACR2) e da Resource Description Access (RDA). A partitura escolhida foi a de autoria de Chiquinha Gonzaga, intitulada ‘Ó abre alas’. Para tanto, a pesquisa se caracteriza como descritiva e documental. Na análise dos dados foi adotada a abordagem qualitativa, com o intuito de interpretar os aspectos inerentes às partituras e aos elementos de descrição. Os resultados apontaram que o processo de representação bibliográfica e de autoridade, tendo como base os códigos, normas e formatos, possibilitam que os documentos musicográficos sejam passíveis de descrição e, sobretudo, de recuperação. Observou-se que os atributos e atualizações sugeridos pela RDA, tais como o acréscimo do campo de descrição para tipo de conteúdo; os atributos relacionados à pessoa que incluem: campo de atividade, ocupação, dados biográficos, informações sobre a família, local associado, etc., são informações que contribuem para compreensão dos usuários do contexto em que o documento foi produzido, que no caso de partituras, essas informações colaboram na preparação da performance do músico que irá realizá-la o mais próximo possível da ideia do compositor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Claudia Medeiros de Sousa, Universidade Federal da Bahia

Professora Adjunto do Instituto de Ciência da Informação da Universidade Federal da Bahia. Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba.

Dayane Patrícia Silva dos Reis, Universidade Federal da Bahia

Estudante do Curso de Biblioteconomia e Documentação da Universidade Federal da Bahia

Gleice Pereira dos Santos, Universidade Federal da Bahia

Estudante do Curso de Biblioteconomia e Documentação da Universidade Federal da Bahia.

Referências

ACERVO Digital Chiquinha Gonzaga. Ó abre alas: canto e piano. Disponível em: https://chiquinhagonzaga.com/acervo/partituras/o-abre-alas_canto-e-piano.pdf. Acesso em: 21 out. 2021.

CATARINO, M. E.; SOUZA, T. B. de. A representação descritiva no contexto da web semântica. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 2, p. 77-90, maio/ago. 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tinf/a/LNXBFHmzhdhTKkswBqry58R/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 20 set. 2021.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2007.

JOINT STEERING COMMITTEE FOR REVISION OF AACR. Código de catalogação anglo-americano. 2. ed. São Paulo: FEBAB, 2004.

MAIMONE, G. D.; SILVEIRA, N. C.; TÁLAMO, M. F. G. M. Reflexões acerca das relações entre representação temática e descritiva. Inf. & Soc.: Est., João Pessoa, v. 21, n. 1, p. 27-35, jan./abr. 2011. Disponível em: http://www.periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/7367/5596. Acesso em: 17 out. 2021.

MCGARRY, K. O contexto dinâmico da informação: uma análise introdutória. Brasília: Briquet de Lemos, 1999.

MEY, E. S. A.; SILVEIRA, N. C. Catalogação no plural. Brasília: Briquet de Lemos, 2009.

NOVELLINO, M. S. F. Instrumentos e metodologias de representação da informação. Inf. Inf., Londrina, v.1, n.2, p.37-45, jul./dez. 1996. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/1603/1358. Acesso em: 18 out. 2021.

PACHECO, K. L. Manifestações de obras musicais: o uso do título uniforme. 2009. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Curso de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/ECID-7Z6KCV. Acesso em: 17 out. 2021.

RDA Steering Committee. RDA: Resource Description and Access. Disponível em: https://www.rdatoolkit.org. Acesso em: 6 out. 2021.

SALGADO, D. M. A construção de registros de autoridade e o mapeamento das tarefas do usuário: um estudo da norma RDA. In: ASSUMPÇÃO, F. S.; PEREIRA, A. M.; TEIXEIRA, M. V. (org.). RDA: perspectivas teóricas e práticas no Brasil. Florianópolis: UDESC, 2020. Disponível em: https://rdanobrasil.org/wp-content/uploads/2021/05/rda-perspectivas-teoricas-e-praticas-no-brasil.pdf. Acesso em: 17 out. 2021.

SANTOS, P. L. V. A. da C. Tecnologias e novos rumos da Catalogação. In: ASSUMPÇÃO, F. S.; PEREIRA, A. M.; TEIXEIRA, M. V. (org.). RDA: perspectivas teóricas e práticas no Brasil. Florianópolis: UDESC, 2020. Disponível em: https://rdanobrasil.org/wp-content/uploads/2021/05/rda-perspectivas-teoricas-e-praticas-no-brasil.pdf. Acesso em: 17 out. 2021.

SANTOS, V. dos; CANDELORO, R. J. Trabalhos acadêmicos: uma orientação para a pesquisa e normas técnicas. Porto Alegre: AGE, 2006.

SILVA, E. B. O.; SERRA, L. G.; CASSARES, N. C.; VALENCIA, M. C. P. Conceituação e aplicação do novo padrão para descrição bibliográfica Resource Description and Access (RDA). CRB8 Digital, v. 5, n. 1, 2012. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/46646. Acesso em: 21 set. 2021.

SOTUYO BLANCO, P. Documentação musical e musicográfica: em prol de uma terminologia necessária. In: SOTUYO BLANCO, P.; SIQUEIRA; M. N. de; VIEIRA, T. de O. (org.). Ampliando a discussão em torno de documentos audiovisuais, iconográficos, sonoros e musicais. Salvador: Edufba, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/handle/ri/20828. Acesso em: 17 out. 2021.

Downloads

Publicado

22-04-2022

Como Citar

SOUSA, A. C. M. de; REIS, D. P. S. dos .; SANTOS, G. P. dos . Representação descritiva de documentos musicográficos: análise dos atributos de descrição bibliográfica e de autoridade da partitura ‘Ó abre alas’. Revista Informação na Sociedade Contemporânea, [S. l.], v. 6, n. 1, p. e27477, 2022. DOI: 10.21680/2447-0198.2022v6n0ID27477. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/informacao/article/view/27477. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê XV Encontro Nacional de Informação e Pesquisa em Informação (CINFORM)