A trajetória histórica da institucionalização do turismo no Brasil

Palavras-chave: Turismo. Trajetória Histórica. Institucionalização. Estado. Política Pública.

Resumo

Este artigo teórico tem como objetivo geral estruturar os principais subsídios que demarcam a trajetória histórica da institucionalização do turismo no Brasil, levantando e correlacionando algumas das iniciativas estatais basilares da conjuntura estudada (decretos, marcos legais, políticas, projetos, planos e programas). Justifica-se o estudo, por entender que os padrões históricos pelos quais o turismo foi promovido no Brasil, ainda influenciam na forma como a atividade se materializa na contemporaneidade. Metodologicamente, o artigo se caracteriza como exploratório-descritivo e faz uso da pesquisa bibliográfica como ferramenta técnica. Busca-se a partir de um processo interativo de pesquisa, coletar, descrever e explicar dados e informações, promovendo a devida ordenação e possibilitando o cruzamento de subsídios e a devida interpretação. Com efeito, considera-se que a falta de preparo para a gestão e planejamento do turismo no Brasil é histórica. Destaca-se a centralidade no viés econômico do turismo como o aspecto que limitou ações de escopo mais amplo. Conclui-se que, enquanto a visão econômica sobrepor à compreensão do turismo enquanto fenômeno social complexo, as ações promovidas pelo poder público continuaram reforçando os hiatos sociais já existentes no país, contrariando inclusive, a ideia difundida nos discursos políticos que tratam do turismo, enquanto uma possibilidade de minimizar desigualdades regionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Christiano Henrique da Silva Maranhão, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Turismólogo/UFRN
Mestre em Turismo / UFRN 
Doutorando do Programa de Pós-Graduação e Pesquisa em Geografia / UFRNDocente Centro Universitário Facex / UNIFACEX
Assessor Técnico da ONG RESPOSTA - Responsabilidade Social Posta em Prática 

Referências

Banco do Nordeste. (2005). Programa de Desenvolvimento do Turismo no Nordeste. Memorando do Banco do Nordeste do Brasil S.A. Relatório final do Projeto BR-0204. Recuperado em 10 de julho, 2015, de http://edi.bnb.gov.br/content/aplicacao/prodetur/downloads pdf.

_______. (1991). Prodetur/NE II: Histórico e objetivos. Recuperado em 12 de novembro, 2015, de http://www.bnb.gov.br/web/guest/objetivos2.

Brasil, M. T. (2015). Documento referencial - Turismo no Brasil 2011-2014. Recuperado em 22 de junho, 2015, de http://www.dadosefatos.turismo.gov.br.

_______. (2015). Avaliação do Programa de Regionalização do Turismo – Roteiros do Brasil. Recuperado em 22 de junho, 2015, de http://www.turismo.gov.br/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/Livro_Regionalizaxo.pdf.

________. (2014). Anuário estatístico do turismo-2015. Secretaria Nacional de Políticas de Turismo. 42, Brasília.

________. (2008). Estudo de Competitividade dos 65 Destinos Indutores do Desenvolvimento Turístico Regional - Relatório Brasil. (2ª ed), Brasília.

________. (2007). Plano Nacional de Turismo (2007-2010): uma viagem de Inclusão. Recuperado em 12 de junho, 2015, de http://www.turismo.gov.br.

________. (2004). Programa de Regionalização do Turismo: diretrizes Secretaria Nacional de Políticas de Turismo. Brasília.

________. (2003). Plano Nacional de Turismo 2003-2007: diretrizes, metas e programas. Recuperado em 10 de junho, 2015, de http://www.turismo.gov.br/.

Castro, N. A. R (2006). O lugar do turismo na ciência geográfica: contribuições teórico-metodológicas à ação educativa. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade de São Paulo, São Paulo.

Cruz, R. C. (2002). Políticas públicas de turismo no Brasil: significado, importância, interfaces com outras políticas setoriais. UNB/MMA, Brasília.

________. (2000). Política de turismo e território. Contexto, São Paulo.

Dias, R. (2008). Planejamento do turismo: política e desenvolvimento do turismo no Brasil. Atlas, São Paulo.

Endres, A. V. (2012). As políticas de turismo e os novos arranjos institucionais na Paraíba/Brasil. Tese (Doutorado em Sociologia Política) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis-SC.

Fratucci, A. C. (2008). A dimensão espacial nas políticas públicas brasileiras de turismo: as possibilidades das redes regionais de turismo. Tese (Doutorado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro-RJ.

Fonseca, M. A. (2005). Espaço, Políticas de Turismo e Competitividade. Edufrn, Natal.

Harvey, D. (2008). Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. Ed.Loyola, São Paulo.

Köche, J. C. (2013). Fundamentos de metodológica científica: teoria da ciência e iniciação à pesquisa. Vozes, Rio de Janeiro.

Oliveira, M. F., & Oliveira, O. J. (2012). Estado e turismo: trajetórias do caso baiano. Caderno Virtual de Turismo, 12(3), 384-398.

Publicado
20-12-2017
Como Citar
MARANHÃO, C. H. DA S. A trajetória histórica da institucionalização do turismo no Brasil. Revista de Turismo Contemporâneo, v. 5, n. 2, 20 dez. 2017.
Seção
Artigos